88 Insurtechs mostra como usar blockchain em seguros

A plataforma utilizada pela startup permite uma maior personalização dos seguros e a redução de custos, oferecendo melhores experiências aos clientes

88 Insurtechs mostra como usar blockchain em seguros

A plataforma utilizada pela startup permite uma maior personalização dos seguros e a redução de custos, oferecendo melhores experiências aos clientes

0
shares

Um dos motivos da blockchain ter se tornado um hype não foi apenas sua relação com o Bitcoin. A plataforma passou a ser alvo também de outros setores do mercado por se revelar como um canal de transações descentralizado, aberto, acessível e criptografado.

Tal como os contratos inteligentes podem ser utilizados pelas lawtechs, eles também podem impactar de forma expressiva no setor de insurtechs. Esse é o caso da 88 Insurtech, startup que utiliza a plataforma para trazer assistência aos segurados, conectando corretores e clientes.

“A 88 Insurtech já nasceu digital, utilizando a blockchain como ferramenta de negócio. Conseguimos fazer a transação da captação de informação com o máximo de transparência entre preço e valor, o tornando aceitável para o nosso público”, afirmou Renato Lyra, conselheiro de vendas e seguros da startup. O custo menor também é possível graças ao meio utilizado, já que a blockchain oferece uma infraestrutura de baixo custo.

Os benefícios da blockchain nos seguros

O menor custo não é o único ponto a ser destacado devido a blockchain. Para Ricardo Nishimura, COO da startup, um benefício é que os dados inseridos na plataforma não podem ser mudados, facilitando a capacidade de ser auditável.

Outro benefício é que, por ser descentralizada, a situação passa a ser mais horizontal entre clientes, seguradores e clientes. “A questão de não ser uma rede com um único ponto favorece que não haja conflito de interesses. Ninguém está ganhando desse elo”, comentou Nishimura.

Esses pontos impactam o cliente não apenas na hora de fechar negócio, mas durante o dia-a-dia como segurado, facilitando inclusive que tenham acesso aos produtos contratados. “A autoregulação do sinistro é uma coisa disruptiva no mercado de seguros. No caso de uma viagem, imagina que você comprou um bilhete dentro do aeroporto e o voo atrasa – o smart contract te dará um voucher sem você solicitar. Se demorar mais tempo, ele dá uma acomodação, por exemplo”, disse o COO da 88 Insurtech.

Já na rotina, ao invés de clientes serem recompensados com produtos, podem ser recompensados com tokens da Blockchain. Hoje, a própria tecnologia já funciona dessa forma, através da mineração, ao recompensar os usuários que auxiliam na validação de transações. Conheça a blockchain aqui.

Outra iniciativa que a 88 Insurtech pretende possuir é realizar uma customização mais profunda para os usuários inclusive na individualização de preços. “Queremos entender a pessoa e o consumidor, porque hoje os seguros encaram isso de uma forma muito simples”, finaliza Nishimura. Renato Lyra e Ricardo Nishimura estiveram no Insurance Day 2018, realizado nesta quarta-feira (5) pela StartSe.

Baixe já o aplicativo da StartSe

App StorePlay Store

Assine nossa newsletter

switch-check
switch-x
Nova Economia
switch-check
switch-x
Empreendedores
switch-check
switch-x
Startups
switch-check
switch-x
Ecossistema
Mais em Startups