Como a impressão 3D de metal está acelerando processos em indústrias

Impressoras 3D de metal já estão sendo cobiçadas por grandes montadoras, joalherias e até no mercado odontológico

Como a impressão 3D de metal está acelerando processos em indústrias

Impressoras 3D de metal já estão sendo cobiçadas por grandes montadoras, joalherias e até no mercado odontológico

0
shares

Se antes a impressão 3D era mais comumente utilizada em materiais como plástico, resinas e nylon, agora o setor ganha um novo reforço muito importante: o metal. Startups e empresas estabelecidas estão atuando no setor ao criar impressoras 3D capazes de realizar o feito ou até mesmo imprimindo os objetos no material para comercializá-los no mercado, que continua emergente. A expectativa é que a receita anual do setor global de impressão 3D atinja US$ 14 bilhões em receita até o final deste ano, segundo o Statista.

Recentemente, a HP lançou a que considera ser “a impressora 3D mais avançada para produção em massa” – a expectativa da empresa do Vale do Silício é de acelerar a Quarta Revolução Industrial. “Nós estamos no meio de uma revolução digital industrial que está transformando a indústria de manufatura, de US$ 12 trilhões. A HP ajudou a liderar essa transformação ao ser pioneira na impressão 3D em massa de produtos plásticos, e agora estamos dobrando isso com a HP Metal Jet, quebrando padrões na tecnologia de impressão de metais 3D”, disse Dion Weisler, CEO e presidente da HP, no anúncio da impressora.

Veja seu funcionamento:

 

Ferramentas como essa estão auxiliando que iniciativas pontuais se tornem massivas – esse é o caso da parceria entre a relojoaria Utinam Besançon e a Stainless, uma empresa de impressora 3D. Juntas, as empresas criaram um relógio com a caixa – parte do relógio onde ficam os ponteiros - impressa com esta tecnologia. O relógio foi criado a partir da fusão a laser do metal inoxidável 316L em pó em uma impressora do tipo Renishaw AM250. O relógio ainda não é feito completamente em impressora 3D porque a tecnologia não avançou ao ponto de criar partes mais complexas, mas a expectativa é de produzi-los em larga escala e vendê-los nas unidades da Utinam Besançon em Paris.

A tecnologia está invadindo a academia

Apesar da solução já estar sendo desenvolvida no mercado, a impressora 3D em metal continua a ser estudada em grandes universidades. A Desktop Metal é uma startup criada por dois alunos e quatro professores do MIT para avançar os parâmetros dessa tecnologia.

Como a HP, a startup está trabalhando para produzir impressoras 3D que possam revolucionar os processos de manufatura. O MIT anunciou que a startup irá começar a vender as versões iniciais de sua nova máquina de produção – uma impressora 3D que pode produzir mais de 100 mil partes de metais com um custo e rapidez que compete diretamente com os métodos tradicionais. Segundo o site de notícias da universidade, o primeiro produto da startup, o Studio System, melhorou a segurança, rapidez e o preço de protótipos de impressoras 3D.

“A impressão 3D é uma tecnologia maravilhosa em termos de capacidades e como pode redesenhar o ciclo de vida de produtos, mas estamos no início desses processos inovadores”, disse A. John Hart, professor no Departamento de Engenharia Mecânica no MIT e cofundador da Desktop Metal. Desde que foi criada, em 2015, a startup já levantou US$ 277 milhões em investimentos para acelerar o crescimento do negócio e a adoção das impressoras 3D de metal.

Dois anos depois, a startup atingiu o valuation de US$ 1 bilhão e se tornou um unicórnio. Já em março de 2018, a Desktop Metal continuou a receber investimentos – desta vez, no valor de US$ 65 milhões, liderado pela fabricante de automóveis Ford, com participação da já investidora Future Fund.

... E a indústria também está de olho

A Ford investiu na Desktop Metal por um motivo simples: a indústria pode se aproveitar – e muito – desta tecnologia. Sua concorrente, a Volkwagen, já realizou uma parceria com a HP para trazer a nova impressora Metal Jet para as fábricas. A novidade foi anunciada junto ao lançamento da impressora.

“Um único carro é constituído de seis mil a oito mil partes diferentes. Uma grande vantagem ao utilizarmos tecnologias como a HP Metal Jet é que nos permite produzir muitas dessas partes sem ter que criar ferramentas de manufatura. Ao reduzir o ciclo de tempo de produção, nós podemos aumentar o volume de produção em massa muito rapidamente”, disse Dr. Martin Goede, Head of Technology Planning and Development da Volkswagen, ao divulgar a parceria.

Além do automotivo, outro setor de mobilidade já está utilizando a solução – a Ge-AvioAero, na Itália, cria componentes para aviões feitos em impressoras 3D de metal. Já em outros mercados, as impressoras 3D já estão sendo utilizadas em joalherias – como no exemplo da Utinam Besançon -, e até em implantes médicos e dentais. Nesse caso, o benefício é que os implantes podem ser feitos sob medida e personalizados para cada paciente, como realizado pela Renishaw.

Baixe já o aplicativo da StartSe

App StorePlay Store

Assine nossa newsletter

switch-check
switch-x
Nova Economia
switch-check
switch-x
Empreendedores
switch-check
switch-x
Startups
switch-check
switch-x
Ecossistema
Mais em Startups