5 lawtechs que estão revolucionando o setor jurídico no Brasil

Todas essas lawtechs estarão na Startup Village da Lawtech Conference – o maior evento de tecnologia jurídica do Brasil

5 lawtechs que estão revolucionando o setor jurídico no Brasil

Todas essas lawtechs estarão na Startup Village da Lawtech Conference – o maior evento de tecnologia jurídica do Brasil

0
shares

O Direito, uma das profissões mais antigas do mundo, está sendo diretamente afetado pela tecnologia - até a prática da profissão da maneira como conhecemos hoje está com os dias contatos. Segundo o Fórum Econômico Mundial, um em cada quatro empregos existentes hoje será substituído por softwares e robôs até 2025 – e não são somente trabalhos braçais que estão ameaçados pela automação. Na área jurídica, os robôs estão assumindo cada vez mais funções nos grandes escritórios de advocacia.

A automação é inevitável e necessária para aumentar a eficiência e reduzir custos. Além disso, essas soluções transformam o dia a dia jurídico, pois permitem que os advogados aloquem seu tempo em atividades mais sofisticadas e que necessitem de maior carga intelectual. Quem desenvolve essas soluções são as lawtechs, startups jurídicas que oferecem novas ideias, em forma de produto ou serviço, para resolver os principais problemas do universo jurídico. Conheça algumas lawtechs que estão revolucionando o setor jurídico no Brasil:

Looplex

A Looplex, uma plataforma para automação inteligente de documentos, nasceu após Angelo Caldeira perceber a ineficiência de algumas práticas jurídicas. “Depois de quase 20 anos advogando, me frustrei com a forma como a advocacia era praticada. Eu via profissionais desperdiçando grande parte do seu dia fazendo trabalhos repetitivos e pouco desafiadores”, conta.

Com o surgimento de tecnologias de interpretação de texto e inteligência artificial, Angelo enxergou uma oportunidade de reverter esse quadro.  “Decidi suspender minha carreira e montar um 'dream team' de programadores, matemáticos e advogados que pensavam como eu para mergulharmos de cabeça e criarmos a Looplex”.

Agora, com a Looplex, o advogado consegue criar em minutos contestações, recursos e outros contratos complexos que antes demoravam horas. A startup possui três linhas de produto: “GO”, “PRO” e “Academy”. O carro chefe é o Looplex GO – um serviço que automatiza o conteúdo a partir de estruturas e componentes pré-selecionados. Para atender demandas mais complexas, a startup desenvolveu o Looplex PRO, uma solução “taylor made” que mapeia o que o cliente precisa e transforma modelos em uma sofisticada árvore de decisão. Já o Looplex Academy, ensina os advogados a criarem e programarem diretamente os seus próprios modelos automatizados.

Para ter acesso ao serviço é simples – basta o escritório ou departamento jurídico pagar uma assinatura mensal proporcional ao uso do sistema. De acordo com Angelo, a Looplex apostou no pay-per-use como modelo de negócio uma vez que ele se alinha muito com a forma de cobrança dos advogados. No futuro, a startup planeja lançar o Looplex Embeded. Com ele, escritórios jurídicos e outras empresas conseguirão oferecer soluções de automação para os seus clientes – com interface e conteúdo personalizado – utilizando o sistema da Looplex.

OYSTR

Fundada em 2014, a OYSTR é uma empresa especialista em desenvolvimento de robôs jurídicos que capturam e enviam informações no ambiente web. “Nossos robôs auxiliam escritórios de advocacia e departamentos jurídicos a interagirem com sistemas, como: tribunais, portais eletrônicos, bem como os sistemas de seus clientes. Visamos tornar esse processo mais ágil e inteligente, e permitir que os advogados se concentrem no essencial: advogar”, conta Rafael Caillet, sócio da empresa.

A startup faz robôs para diversas necessidades jurídicas – desde aquelas que integrarão sistemas de terceiros até mesmo para tribunais. Os robôs da OYSTR são aplicações de software concebidas para simular ações humanas, repetidas vezes, de maneira padrão. No contexto jurídico, eles podem desempenhar tarefas rotineiras e substituir a atividade humana, ou simplesmente integrar-se a sites em que há necessidade de interação do usuário, como sistemas de processos eletrônicos e sites de clientes. Isso porque esses robôs podem extrair informações ou alimentá-las em outros sistemas.

A OYSTR, que nasceu com o propósito de facilitar a vida do advogado e acabar com trabalhos repetitivos, não exige instalação do robô, nem mesmo investimento em infraestrutura. “Não é necessário envolver equipe de desenvolvimento do terceiro ou tribunal e contam com um curto tempo de desenvolvimento. Além disso, o nosso robô resolve CAPTCHA e podem ser integrados via API”, conta. No futuro, segundo o sócio da startup, a OYSTR está com planos de aplicar Inteligência Artificial e Machine Learning junto a automação de seus robôs.

upLexis

A upLexis começou a atuar na área em 2005, fazendo consultas automatizadas no site da Receita Federal. Mas foi somente em 2009 que nasceu o principal produto da empresa, a upMiner, uma plataforma de captura, classificação, armazenamento e disponibilização de dados e informações obtidas em mais de 5 mil fontes de dados distintas. “Trabalhamos com tecnologias de cloud computing, big data, inteligência artificial e analytics, cruzando e correlacionando uma infinidade de dados em tempo real e gerando relatórios gráficos e analíticos e indicadores para tomadas de decisão”, conta

Por nunca ter recebido aportes externos, o crescimento da upLexis aconteceu de forma orgânica. Hoje, seu faturamento cresce cerca de 2 dígitos a cada ano. Atualmente, a empresa que tem investido muito em inovação oferece 4 produtos distintos no mercado e integrados entre si – upMiner, upJuris, upLink e upMap.

Mais focado no cenário jurídico, o upJuris é uma forma simples, moderna e inovadora de acompanhar seus relatórios de ocorrências nos diários oficiais de todo o território nacional. Com a ferramenta, é possível encontrar nomes próprios tanto de pessoas físicas quanto de empresas. Para ter acesso a plataforma, basta assinar um plano – que varia entre bronze, prata, ouro e diamante, conforme o volume de consultas e funcionalidades contratadas.

e-Xyon

A e-Xyon, fundada em 2001, nasceu da dificuldade em consolidar dados de processos judiciais de escritórios de advocacias em diferentes localidades. “Os escritórios enviavam relatórios em diversos formatos, e as empresas tinham um enorme trabalho para consolidar essas informações. O resultado era uma gestão comprometida. Com base nessa experiência, vimos que existia uma oportunidade de desenvolver uma aplicação de gestão jurídica na web”, conta Victor Rizzo, sócio da empresa. Assim, em 2001, a e-Xyon foi a primeira a lançar no mercado um sistema de gestão jurídica 100% online.

Além de ser a primeira solução 100% online para gestão jurídica do Brasil, a e-Xyon trouxe uma visão de gestão, baseada na análise de indicadores, gestão de fluxo de trabalhos e na conformidade de informações. “Passamos a apresentar relatórios e indicadores voltados ao suporte de tomada de decisão. Isso agradou muito aos departamentos jurídicos que necessitavam de uma visão mais estratégica”, diz. Em 2003, a empresa desenvolveu robôs de captura de dados com o objetivo de ajudar a manter os dados dos processos atualizados e realizar auditorias.

Atualmente, a lawtech oferece softwares de gestão de contratos, recuperação de crédito, controle societário e marcas, automação de documentos e jurídico contencioso. Além disso, a e-Xyon analisa documentos usando Inteligência Artificial, monitora o andamento de processos, e faz diagnósticos de riscos jurídicos e jurimetria.

Considerada uma das maiores lawtechs do Rio de Janeiro, a e-Xyon pretende continuar investindo em inovações. “Isso porque queremos oferecer ao mercado soluções cada vez mais sofisticadas do ponto de vista tecnológico, que ajudem nossos clientes a aumentar sua produtividade, reduzir os seus custos, mas, principalmente, inovar nas formas de fazer gestão jurídica e aperfeiçoara governança jurídica”, diz Victor.

Invenis

Após terminar seu mestrado na Universidade de Columbia, Pedro Vicentini estava trabalhando em um escritório em NY e notou que existia uma oferta de inovação e tecnologia para o mercado jurídico que não existia no Brasil. Pensando em sanar essa dor, os sócios desenvolveram uma ferramenta de alerta de litígios diretamente do site dos tribunais. “Assim, não seria mais preciso gastar o tempo de estagiários, paralegais e até advogados para ficar monitorando todos os dias os diversos sites de tribunais em busca de um novo processo ajuizado contra um cliente”, diz Matheus Bombig, um dos fundadores.

O funcionamento da plataforma é simples: basta indicar as empresas ou classe de processos que você quer monitorar, escolher os tribunais que serão as fontes dos avisos e informar seu e-mail. Pronto! Em 24h, Invenis enviará alertas com os novos processos ajuizados. “Atualmente oferecemos dois alertas de litígios: um baseado em CNPJ/nome da parte e outro baseado em qualquer filtro oferecido pelo tribunal (classe, valor da causa, etc)”, explica.

Para ter acesso a essa plataforma, a empresa oferece um período de testes para que o cliente vivencie e avalie a necessidade da ferramenta na sua empresa e, logo depois, cobra uma assinatura mensal. “Um de nossos propósitos é apenas fornecer o produto para um cliente se for verdadeiramente útil e estiver resolvendo um dor. O fato de ele poder cancelar a mensalidade a qualquer momento reforça esse propósito, pois não queremos que um cliente fique preso a um contrato se ele não está feliz”, afirmam os sócios.

Apesar de ainda não ter recebido nenhum aporte externo, a Invenis fez parte da segunda turma do SPStars –  um programa de 6 meses que oferece diversas sessões de mentoria com empreendedores e especialistas em várias áreas. Quando questionamentos sobre o futuro da lawtech, os sócios afirmam que a empresa buscará ajudar os clientes a tomarem decisões sobre como proceder em um novo processo baseado em padrões/sentenças anteriores.

De olho nesse novo ecossistema, a StartSe criou a Lawtech Conference – o maior evento de tecnologia jurídica do Brasil. No evento, haverá a Startup Village, que reunirá startups com soluções para o setor e todas as lawtechs dessa matéria estarão presentes. Garanta a sua vaga na LawTech Conference e fique por dentro das últimas inovações no mundo jurídico!

Baixe já o aplicativo da StartSe

App StorePlay Store

Assine nossa newsletter

switch-check
switch-x
Nova Economia
switch-check
switch-x
Empreendedores
switch-check
switch-x
Startups
switch-check
switch-x
Ecossistema
Mais em Startups