Blockchain: o que é, como funciona e por que ele importa tanto

Entenda o que é blockchain e como essa tecnologia promete mudar inúmeros mercados, de finanças a medicina

Blockchain: o que é, como funciona e por que ele importa tanto

Entenda o que é blockchain e como essa tecnologia promete mudar inúmeros mercados, de finanças a medicina

0
shares

O termo blockchain ficou conhecido principalmente devido ao boom das criptomoedas, sendo o Bitcoin a mais conhecida delas. Apesar de ser comum confundir essas tecnologias, uma vez que são conectadas, elas não são sinônimos e não necessariamente dependem uma da outra.

O que é blockchain?

A palavra criptomoeda vêm da junção “criptografia + moeda” e, como o nome sugere, elas são moedas digitais que utilizam criptografia para manter um alto nível de segurança em transações e pagamentos. Já o blockchain é uma estrutura pública e descentralizada que realiza transações intricadas de forma muito ágil por meio de criptografia.

Dessa forma, apesar de ser uma peça-chave para as criptomoedas, o blockchain não se resume a apenas isso. Seu sistema promete atuar na transação de moedas, contratos e até de dados importantes. Em outras palavras, a aplicação do blockchain vai muito além do mercado financeiro, podendo revolucionar diversas áreas.

Essa revolução se dá em relação à segurança e à velocidade dos processos, mas também a outro fator muito atrativo: custos.

Segundo uma pesquisa feita pela consultoria Autonomous, US$ 54 bilhões são gastos com back office anualmente, sendo que 30% desses custos poderão ser reduzidos por blockchain até 2021. O resultando pode ser uma economia de US$ 16 bilhões para a indústria.

Como funciona o blockchain?

A tradução literal de blockchain seria corrente de bloco e, de fato, a tecnologia funciona de forma similar a uma rede de blocos conectados por uma corrente. Cada um desses blocos é um código que contém uma informação, podendo ser desde contrato até comprovante de transação financeira.

Essas informações são gravadas em milhares de computadores espalhados pelo mundo inteiro. Se alguém tentar invadir o sistema para mudar o que está escrito, terá que invadir muitos computadores com diferentes tecnologias de proteção de dados.

Isso se agrava à medida que mais transações são feitas, uma vez que novos blocos surgem e mais validações são realizadas antes de uma nova transação ser criada. Como consequência, quanto mais informação é adicionada ao blockchain, mais segura e transparente a cadeia se torna.

Abaixo, uma ilustração da Autonomous ajuda a entender com mais detalhes a tecnologia:

Uma vez entendido como a tecnologia funciona, também é importante conhecer alguns termos específicos utilizados quando se trata de blockchain. Como se pode observar, alguns deles, como hash e chave-pública, já apareceram. Mas não são os únicos.

Dicionário do blockchain

Ao estudar blockchain, não é difícil se deparar com palavras que remetem a ações ou tecnologias próprias do assunto. Para não ficarem dúvidas quando algum termo diferente surgir, conheça abaixo os principais:

Chave pública / chave privada: a criptografia de chave pública usa algoritmos que requerem duas partes, sendo que a chave pública encripta, ou seja, transforma a informação em um código para impossibilitar sua leitura, e a chave privada decripta, desbloqueando o conteúdo.

Consenso: indispensável para a fidelidade da transação, ele ocorre quando todas as partes concordam com ela, assim como com sua validade.

Contratos inteligentes: são protocolos programados na base da transação do blockchain. Eles podem verificar e reforçar o desempenho de um contrato, podendo executá-lo sozinho.

Criptografia: no blockchain, a criptografia atua principalmente na segurança das transações, cifrando as informações e tornando-as ininteligíveis para quem não tem, por exemplo, uma chave privada feita para decifrá-la.

Ledger: é o registro compartilhado que armazena todas as transações, como uma – grande – planilha do Excel.

Mineração: esse mecanismo é específico para a blockchains de Bitcoins. Nela, usuários (também chamados de mineradores) resolvem problemas de criptografia com o objetivo de ajudar o blockchain a funcionar.

Prova de trabalho: é um protocolo utilizado para prevenir os ledgers de ataques cibernéticos. Na prática, ele utiliza um sistema que exige uma prova de que o minerador se esforçou consideravelmente para resolver o problema.

As principais disrupções

Como já observado, o blockchain vem acompanhado de processos inovadores, desde contratos inteligentes à criptografia. A junção deles, além de prometer gerar uma economia de bilhões de dólares como citado no início, também traz a possibilidade de revolucionar diversos fatores relacionados a transações de documentos, moedas, entre outros.

Esses fatores e a forma como eles prometem ser transformados pelo blockchain são:

Áreas de aplicação

Já está claro que o blockchain está vindo para mudar muita coisa, mas a dúvida que pode ficar é: o que exatamente? A verdade é que as vantagens do blockchain são inúmeras e suas aplicações são vastas.

Consideremos a compra de um prédio comercial, uma transação complexa envolvendo bancos, advogados, seguradoras, empresas de títulos, reguladores, agências fiscais e inspetores. Todos esses agentes mantêm registros separados, o que dificulta muito a transparência do processo e é muito caro verificar, acompanhar e registrar cada etapa. O blockchain elimina todos estes intermediários que tornam o processo caro, demorado e difícil de rastrear.

A  possibilidade de diminuir e até eliminar as etapas de transferência de informações afeta vários mercados de diferentes formas. Alguns que prometem ser afetados são:

Financeiro

A área financeira é impactada tanto pelo surgimento das criptomoedas, como Bitcoin e Ethereum, que tendem a substituir as moedas comuns, e também pela transferência de informações e dados importantes no sistema.

Imobiliário

O setor imobiliário poderá mudar com a redução dos custos, que tenderiam a desaparecer, e o aumento da transparência dos processos.

Jurídico

No Direito, o blockchain promete afetar principalmente a parte ligada a contratos, que poderão ser substituídos por contratos inteligentes. Com a segurança e certificação fornecida pela tecnologia, cartórios, por exemplo, poderão deixar de existir.

Votação

As eleições não são diferentes em termos de precisar verificar identidade, alta segurança e formas confiáveis para determinar quem venceu. O uso de blockchain aqui é claro, uma vez que atua diretamente em todos esses processos.

Medicina

Segundo o CB Insights, o uso de blockchain pode permitir que hospitais, pagantes e outras partes envolvidas na corrente de valor compartilhem acesso com redes sem comprometer a segurança de dados e integridade.

Baixe já o aplicativo da StartSe

App StorePlay Store

Assine nossa newsletter

switch-check
switch-x
Nova Economia
switch-check
switch-x
Empreendedores
switch-check
switch-x
Startups
switch-check
switch-x
Ecossistema
Mais em Startups