Conheça a Tencent, a chinesa que é uma das quatro maiores empresas de Internet do mundo

De todas as empresas de Internet – como o próprio Facebook, a Alphabet e a Alibaba, por exemplo -, a Tencent foi a que acumulou o maior volume de dados

Conheça a Tencent, a chinesa que é uma das quatro maiores empresas de Internet do mundo

De todas as empresas de Internet – como o próprio Facebook, a Alphabet e a Alibaba, por exemplo -, a Tencent foi a que acumulou o maior volume de dados

0
shares

A Tencent possui uma história inspiradora. Como uma pequena empresa se tornou a responsável principalmente por alterar as dimensões da indústria da Internet na China? Resumidamente, sua missão é melhorar a qualidade de vida das pessoas, através de seus serviços de Internet. Oferece uma variedade deles, que incluem redes sociais, jogos online, portais, serviços móveis, de telecomunicações e Internet de valor agregado, em áreas como e-commerce, entretenimento, informações e comunicação.

A Tencent era originalmente uma empresa de software, co-fundada por Ma Huateng e Zhang Zhidong. Em 1999, lançou o OICQ, que basicamente era uma cópia do falecido ICQ. Foi o primeiro grande sucesso da companhia, que cresceu exponencialmente e recebeu respostas satisfatórias de seus usuários.

A partir daí sua trajetória foi meteórica. No final do primeiro ano, o OICQ, que agora respondia pela alcunha de QQ, tinha um milhão de usuários; dentro de dois anos, o número já estava na casa dos cinco milhões; 100 milhões em três anos e, no ano passado, chegou a 1 bilhão de usuários registrados. Do aplicativo de mensagens instantâneas, a Tencent expandiu sua cartilha de serviços para jogos interativos em smartphones e PCs.

Desde então, a companhia se transformou em um dos maiores fornecedores de videogames do mundo e acabou desenvolvendo o WeChat, que é basicamente um aplicativo multiuso de redes sociais, mensagens e comércio eletrônico. A Tencent Video - maior empresa de streaming da China, como a Netflix e o YouTube -, é agora a líder no país, à frente do iQiYi, do Baidu, e do Youku Todou, do Alibaba. Provavelmente, é o ecossistema de Internet mais formidável e pegajoso do mundo, embora a Amazon esteja galgando seu caminho para tal.

Como dito, a Tencent realmente está comprometida em desenvolver inovações que agreguem valor à vida das pessoas. Isto fica evidente quando falamos que mais de 50% do total de funcionários da empresa pertencem ao departamento de P&D. Obteve patentes para tecnologias em diversas áreas - jogos, mensagens instantâneas, comércio eletrônico, serviços de pagamento online, segurança da informação e mecanismos de busca. A empresa investiu US$ 100 milhões para criar o primeiro instituto de pesquisa da Internet na China, o "Tencent Research Institute".

A empresa não descansa nos louros de seus números e vitórias. A marca busca continuamente a excelência na dinâmica exponencial da Nova Economia Digital. A equipe é muito dedicada às responsabilidades sociais corporativas e se concentra em educar os jovens, criando iniciativas para prestar assistência a setores da sociedade mais desfavorecidos.

A companhia, no final de 2017, ultrapassou o Facebook para se tornar a rede social mais valiosa do mundo, com uma capitalização de mercado de US$ 540 bilhões - embora esse número, agora em agosto de 2018, esteja na casa dos US$ 430 bilhões. De todas as empresas de Internet – como o próprio Facebook, a Alphabet e a Alibaba, por exemplo -, a Tencent foi a que acumulou o maior volume de dados – e a corrida por dados é a nova corrida pelo ouro.

Estratégia de monetização

Apenas 18% de sua receita total no ano fiscal de 2016 veio de publicidade online. Compare isso com o modelo do Facebook: a publicidade representa 98% de sua receita total. Então, por que a Tencent ainda não aproveitou ao máximo seu potencial nessa área? Para responder a isso, precisamos entender a estratégia de monetização da Tencent e sua filosofia sobre a experiência do usuário.

Foi somente em 2001, após o lançamento da plataforma de mensagens Mobile QQ, que a Tencent obteve seu primeiro lucro: US$ 1,2 milhão com vendas de US$ 5,9 milhões. Três anos depois, a empresa foi listada na Bolsa de Valores de Hong Kong. Em 2005, introduziu o Qzone - um serviço de rede social multimídia. Em 2010, graças à decisão de Pony Ma de abrir para aplicativos de desenvolvedores terceirizados, o Qzone se tornou a maior plataforma de rede social da China, com 492 milhões de usuários ativos.

Capitalizando a então crescente importância dos smartphones, o WeChat nasceu em 2011. Desde então, a Tencent adicionou contas oficiais, serviços de pagamento, um centro de jogos e um aplicativo de bate-papo, que se tornou uma parte central da vida moderna chinesa.

Até agora, a estratégia de monetização da Tencent tem sido contra intuitiva para o modo tradicional de fazer negócios: onde as empresas, primeiro, criam um produto ou serviço e depois buscam clientes. Em contraste, a Tencent começou com uma plataforma de distribuição e construiu seu alcance antes de passar a monetizar suas diversas aplicações.

Seu maior fluxo de receita ao longo da primeira década dos anos 2000 tem sido serviços de valor agregado. Principalmente de jogos para smartphones e PCs, e também de redes sociais (assinaturas de conteúdo digital e venda de bens virtuais) - representando mais de 70% de sua receita total. O resto veio da publicidade online e do comércio eletrônico. Jogos se tornaram assim o principal fluxo de receita da Tencent.

Em 2020, espera-se que essa indústria de jogos para dispositivos móveis seja maior do que todas as outras plataformas tradicionais, como console e PC - e a Tencent se posicionou na vanguarda dessa corrida. A companhia trabalhou meticulosamente para garantir sua posição como o maior desenvolvedor e operador desse mercado. Lançou centros de jogos no Mobile QQ e no WeChat, dando a eles uma grande base de usuários. Depois, nos últimos anos, concentrou-se no mercado global de games, comprando participações ou fazendo grandes aquisições de empresas no exterior. Tornou-se a maior empresa de jogos online do mundo, controlando uma participação de mercado de 13%. Suas receitas nessa área ultrapassaram a marca de US$ 10 bilhões em seu ano fiscal de 2016.

Os investidores recompensaram a empresa por seu crescimento bem-sucedido. Sua capitalização de mercado explodiu com uma taxa de crescimento anual composta de 40% entre 2011-16 e a Tencent entrou na lista das dez empresas listadas mais valiosas do mundo em abril de 2017.

Nesse contexto, talvez não seja surpreendente que a Tencent ainda não tenha sentido a necessidade de aproveitar o potencial de publicidade do WeChat. Muitos outros fluxos de receita lucrativos foram concentrados. Dito isto, a receita de publicidade aumentou em mais de 50% ano a ano desde 2013, representando 18% da receita total em 2016. É claro que esse é definitivamente um fluxo de receita crescente.

A empresa sempre exerceu um controle cuidadoso sobre o número de anúncios nos feeds das pessoas, para garantir que elas não tivessem um efeito adverso na experiência do usuário. Por exemplo, o WeChat limitou o número de anúncios nativos exibidos no feed do WeChat Moments a um por dia. É altamente consciente do desafio de equilibrar seus esforços de monetização com a tolerância de sua base de usuários para anúncios.

A Tencent agora trabalha para entender melhor seus usuários. Devidamente segmentados, a empresa conseguirá aumentar a probabilidade de as pessoas clicarem em seus anúncios. Assim, a publicidade direcionada, usando dados de comportamento, pode se tornar o motor da Tencent para o crescimento nos próximos anos. Fato é que a companhia está apenas começando a explorar a superfície da sua mina de ouro – o que nos leva a outra questão levantada. De todas as empresas de Internet, a Tencent foi a que acumulou o maior volume de dados – e a corrida por dados é a nova corrida pelo ouro.

Uma empresa de tecnologia que investe no ecossistema de tecnologia

A Tencent não é apenas gigante; ela também está crescendo mais rapidamente do que qualquer outra grande empresa do mundo. Em 2016, foi registrada uma receita de US$ 23 bilhões; em 2017, esse número já cresceu para US$ 37,3 bilhões e, agora em 2018, a empresa já superou a marca dos US$ 52,4 bilhões. A Morningstar estima que o lucro líquido da Tencent cresceu mais de 50,4% no ano passado e deverá crescer mais de 40% este ano. A Tencent está desenvolvendo mais conteúdo proprietário e aprimorando seu serviço de newsfeed, tudo com o objetivo de aumentar o engajamento de seus usuários.

Isso permite à Tencent coletar mais dados. que podem ser usados ​​para ampliar a gama de serviços oferecidos. Pense na Tencent como um conglomerado tecnológico em rápido crescimento. A empresa detém participação de 5% na Tesla, 12% no Snap, 10% no Spotify, 6% na Activision Blizzard e 1% no Uber. Desde seu IPO, há 13 anos, a empresa fez mais de 100 transações, que totalizam mais de US$ 40 bilhões. No mercado doméstico, a Tencent possui 22% do e-commerce JD.com e 5% da operadora chinesa de hipermercados Yonghui.

A Tencent também é a maior Venture Capitalist da Ásia, com participações em 19 unicórnios, como Flipkart, Ola e Go-Jek. Duas de suas investidas em Cingapura foram listadas no final do ano passado – a Sea, na Nasdaq, e a Razer, em Hong Kong. A Tencent também tem participações em startups, como o aplicativo de mensagens Hike e o portal de saúde Practo - e apostou em grandes projetos como carros voadores, drones lunares e mineração de asteroides.

Suas incursões como VC não são apenas investimentos empolgantes que dão frutos daqui a alguns anos. A Tencent tem um histórico de estimular suas empresas investidas e ajudá-las assim que estiverem prontas para abrir seu capital. No ano passado, o Sogou, braço de buscas da Tencent, foi listado nos EUA e sua unidade de leitura online, China Literature, levantou US$ 1,1 bilhão em um IPO em novembro. Zhongan Online A P & C Insurance Co, a primeira seguradora online da China, na qual a Tencent detém uma participação, levantou US$ 1,5 bilhão em um IPO em Hong Kong em setembro.

Seu maior unicórnio é o WeBank, no qual possui uma participação de 30%. O presidente Ma e outros grandes acionistas da Tencent detêm a maior parte do restante da fintech, que empresta dinheiro e oferece serviços de gerenciamento de riqueza e pagamento. "A Tencent tem um grande portfólio de empresas investidas que provavelmente serão listadas nos próximos dois anos", disse Chelsey Tam, analista de Internet da Morningstar, ao The Edge Singapore.

Tam analisa que a verdadeira jóia dentro do modelo de negócios da Tencent é o investimento em tecnologia de ponta, que inclui os sistemas de pagamento WeBank, Tencent Pay e WeChat Pay. Ela acredita que a Tencent pode alavancar seu pipeline para aumentar drasticamente os negócios de pagamentos na Ásia e em outras economias emergentes. A empresa obteve uma licença de pagamento eletrônico na Malásia no ano passado e planeja lançar seu ecossistema WeChat, especialmente o WeChat Pay, em todo o sudeste da Ásia. “Assim como o Facebook cresceu e se tornou uma empresa e marca de tecnologia verdadeiramente global, a Tencent tem aspirações de crescimento global semelhantes, tanto como investidor em plataformas de tecnologia complementares quanto em um negócio de tecnologia”, diz.

Novos motores de crescimento

O que vem a seguir para a Tencent? Com muitos ativos em um vasto portfólio de negócios, dá para apostar que o que vem a seguir para a Tencent está relacionado com pagamentos, nuvem e vídeo, além de sua expansão no exterior. Isso seria como uma Mastercard, Netflix e Amazon Web Services atacando o mercado asiático. A força do core business da Tencent ajuda a suavizar sua entrada em novas empreitadas.

Agora que é reconhecida como uma das quatro maiores empresas de Internet do mundo (junto com Alphabet, Facebook e Amazon), a Tencent deve crescer ainda mais rapidamente dentro do tradicional segmento de seu maior concorrente: o Alibaba. A Tencent já comprou participações em redes físicas de supermercados, bem como na varejista online Vipshop, além de deter uma participação no JD.com. É provável que tenha uma fatia maior do bolo de comércio eletrônico da China nos próximos anos.

Mesmo que a Tencent continue a crescer significativamente, ano após ano, suas margens brutas despencaram de 70% em 2010 para menos de 50% atualmente, e deverão cair por mais três trimestres antes de se estabilizarem. Isso significa que a empresa pode não superar as estimativas dos analistas, como tem consistentemente feito ao longo dos anos. Se isso prejudica as ações da Tencent em um ambiente no qual os investidores estão dispostos a pagar um prêmio enorme pelo crescimento da receita, não está claro. As ações da Tencent atualmente são negociadas a 60 vezes o lucro previsto para este ano em comparação com a Amazon, que negocia com cerca de 120 vezes os ganhos estimados em 2018. Se o mercado continua a recompensar os investidores do jeito que tem, a Tencent tem uma boa chance de ser a segunda empresa do mundo a valer US$ 1 trilhão, ao lado da Apple. Só precisa coletar e aproveitar os dados com mais cuidado para evitar secar a fonte desses dados: os cidadãos chineses.

StartSe de olho na China!

A StartSe traz para São Paulo o China Day Conference, evento completamente focado em discutir pontos como esses com maior profundidade! Se você quer saber ainda mais sobre a China, não deixe de conferir nossa semana de imersão por lá, liderada por Ricardo Geromel.

Baixe já o aplicativo da StartSe

App StorePlay Store

Assine nossa newsletter

switch-check
switch-x
Nova Economia
switch-check
switch-x
Empreendedores
switch-check
switch-x
Startups
switch-check
switch-x
Ecossistema
Mais em Startups