Fintech Day e FINTECH.Rio dão passo importante para o fomento do setor no RJ

O evento foi organizado pela Plataforma.Space, uma iniciativa patrocinada pelo Sicoob Empresas RJ, em parceria com a CAAP

Fintech Day e FINTECH.Rio dão passo importante para o fomento do setor no RJ

O evento foi organizado pela Plataforma.Space, uma iniciativa patrocinada pelo Sicoob Empresas RJ, em parceria com a CAAP

0
shares

Aconteceu no dia 23 de junho, no Rio de Janeiro, o Fintech Day. O evento foi organizado pela Plataforma.Space, uma iniciativa patrocinada pelo Sicoob Empresas RJ, em parceria com a CAAP.

Além de todo um dia dedicado a discutir o futuro das fintechs, o evento marcou o fim do primeiro FINTECH.Rio. A turma que inaugurou o programa contou com seis startups - Banco Maré, ​Menu for Tourist, ​Osayk, Otimiza Benefícios, Papelada e Preço Certo - que, segundo Eduardo Diniz, CEO da Plataforma.Space e diretor-executivo do Sicoob RJ, não foram selecionadas de forma aleatória.

As startups também foram integradas também à Rede Sicoob, um projeto de intercooperação e networking exclusivo para associados do Sistema Sicoob. “Enquanto a Plataforma.Space é nosso espaço físico de inovação e o FINTECH.Rio nosso programa de incentivo, a Rede Sicoob é um próximo passo para essas empresas”, disse.

Não deixe de conferir: o StartSe, juntamente com a Associação Brasileira de Fintechs, lança o Fintouch, primeira feira da América Latina totalmente voltada para o mundo das fintechs. Dividido em três pilares, o evento contará com palestras e debates, feira com exposição de fintechs e workshops para empreendedores e executivos do mercado financeiro.

Apresentado por Edson Mackeenzy, curador e mentor do programa, o evento começou com a apresentação do case da Nibo, startup carioca voltada pra soluções para escritórios de contabilidade. “Acreditamos que estamos resolvendo um dos maiores problemas que existem no Brasil. Muita gente fala da burocracia e das dificuldades de se gerenciar um negócio, só que pouca gente tem dimensão do problema que isso de fato representa”, explicou Gabriel Gaspar, CEO da fintech.

Depois foi a vez do painel “Como construir uma fintech”, que contou com Carlos Lino, da IU, Bernardo Pascowitch, da Yubb, e Thiago Cesar, da Bit.One. "Eu acho que a grande palavra, não só em fintech, mas em qualquer outro negócio, é persistência. Até porque empreender é mais um jogo sobre o que você não sabe, do que sobre o que você sabe", comentou Carlos. Bernardo falou sobre uma cultura brasileira que atrapalha muito em qualquer negócio: a falta da validação. “Muitos empreendedores têm a ideia, acreditam que ela vai mudar o mundo e insistem sem validar. Algumas pessoas são equivocadas ao pensar que o bom empreendedor não faz validação. E isso não é verdade”. Já segundo Thiago, o maior desafio é regulatório. “Muitas vezes você é visto como um criminoso só por contar a sua ideia”, disse.

Em seguida foi a vez de Karina Israel, da YDreams falar um pouco sobre as inovações no mercado financeiro. “Meu trabalho é fazer com que sonhos muito ousados sejam realizados. A promessa que nós tínhamos era que tudo que se compra no offline migraria pro online. A gente viu esse movimento acontecer com todos os grandes players mas, há mais ou menos cinco anos, vimos começar a acontecer o movimento inverso, e vários gigantes digitais resolveram ir pro mundo físico, inclusive bancos”.

José Prado, do Conexão Fintech, foi o palestrante seguinte e também falou do setor e de que forma tenta contribuir para o seu crescimento. "O objetivo do projeto Conexão Fintech é acelerar a revolução fintech no país e, mais que isso, ajudar a mudar a relação do brasileiro com o dinheiro. A gente vem tentando fomentar esse nicho há algum tempo, e tivemos a sorte de ter a Plataforma.Space como parceira. Sabíamos que dava para mudar esse cenário por aqui e, depois de algum tempo, é muito bom perceber que nossos esforços estão valendo a pena".

Representando o Sebrae, Maria Auxiliadora falou dos esforços da instituição em fazer a ligação entre o pequeno empreendedor e os bancos. “Durante muito tempo a gente vem trabalhando para aproximar os pequenos negócios dos serviços financeiros. A gente quer mudar essa realidade na qual eles estão sempre à margem do crédito, dos serviços financeiros de forma geral. Para isso, temos convênios não só com grandes bancos como também com cooperativas, como o Sicoob”, disse.

Destaque para quando as seis startups participantes do FINTECH.Rio tiveram a chance de fazer um Demo Day. “Todas elas cresceram muito em seus objetivos. Algumas implementaram sistema de pagamento, como a Menu for Tourist que está em vias de começar a aceitar pagamentos diretamente em sua plataforma, ou o Banco Maré, que melhorou a eficiência do negócio utilizando o Sicoob-RJ para realizar todas as suas transações bancárias. A Preço Certo fez mudanças estratégicas em seu negócio, fruto de muito do que viram durante o bootcamp, e hoje estão trabalhando seus diversos leads. Papelada segue crescendo, cada vez mais sendo reconhecida como uma plataforma mais completa. Osayk passa por mudanças internas importantes, que devem determinar seu futuro nos próximos meses. E Otimiza foi o que mais conquistou novos clientes durante o processo e, inclusive, hoje atende a todos os funcionários da Sicoob do Rio de Janeiro", contou Diniz.

O painel de investidores também chamou atenção. Contando com a presença de nomes importantes como Camila Farani, da Gávea Angels; Jonas Gomes, da Bozano Investimentos; e Dina Rosman, da Confrapar, o bate-papo girou em torno dos investimentos feitos em fintechs. “É imprescindível que o dono da empresa entenda quem é seu investidor em potencial. Só assim a relação tem chance de começar”, disse Farani.

Quem também esteve presente e conferiu todo o dia de programação foi Marco Aurélio Almada, presidente do Bancoob. “Gostei demais do que vi aqui. E, durante a apresentação dos pitches, me vi voltando mais ou menos 20 anos, quando nós mesmos, do Bancoob, éramos uma startup. A diferença é que éramos uma startup sem ecossistema e com baixíssima probabilidade de sucesso, porque não tínhamos o que precisávamos para nos desenvolver adequadamente. Vim conhecer a Plataforma.Space de perto a fim de estudar junto ao Eduardo Diniz como podemos replicar essa experiência em outros Sicoobs pelo Brasil. Queremos ajudar a dar densidade ao ecossistema de startups”.

De acordo com Eduardo Diniz, esse foi apenas o primeiro programa. A previsão é que o edital para próxima turma do FINTECH.Rio seja lançado no começo de julho. As startups devem começar o bootcamp ainda em agosto. “Pensamos na Plataforma.Space com a mesma lógica de uma startup. Nossa intenção é validar um modelo de negócio que seja escalável e disruptivo, deixando um legado real para a cidade do Rio de Janeiro. Somos algo diferente, que o mercado não está acostumado, já que não somos públicos nem privados, mas cooperativos. Acreditamos na força do que estamos fazendo aqui”.

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo! E se você tem interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

Baixe já o aplicativo da StartSe

App StorePlay Store

Assine nossa newsletter

switch-check
switch-x
Nova Economia
switch-check
switch-x
Empreendedores
switch-check
switch-x
Startups
switch-check
switch-x
Ecossistema
Mais em Startups