Mudar o mindset é a chave para se tornar um líder disruptivo

Para Brigette Iarrusso, essas características motivam a equipe e espalham confiança e segurança dentro de uma organização

Mudar o mindset é a chave para se tornar um líder disruptivo

Para Brigette Iarrusso, essas características motivam a equipe e espalham confiança e segurança dentro de uma organização

0
shares

O líder possui um papel indispensável dentro das organizações. O mesmo, além de estar diretamente ligado a gestão de pessoas, é o responsável por repassar a cultura da empresa, engajar a equipe e alinhá-los com os valores da corporação. De acordo com Brigette Iarrusso, instrutora da UC Berkeley e coach de business, ainda é possível encontrar modelos tradicionais de liderança que não cumprem seu papel e desmotivam a equipe.

Como se tornar um líder disruptivo?

A mudança de mindset, segundo a especialista, é a chave para se tornar um líder melhor e disruptivo. “É assustador correr riscos e o medo é real. Mas como podemos avançar nesse processo e continuar seguindo em direção aos nossos objetivos? Mudando o mindset”, defende.

De acordo com Brigette, essa mudança só acontece quando o ambiente colabora para que a mesma aconteça. “Nossa mentalidade é impactada pelo nosso ambiente. E precisamos estar conscientes de quem e do que nos cercamos e como isso afeta a forma como pensamos sobre nós mesmos e nosso potencial de liderança. É por isso que precisamos de uma comunidade engajada, espaços colaborativos, associações e até mesmo eventos”, explica a especialista em liderança.

Os líderes precisam olhar para dentro para si mesmo de uma maneira mais completa, entender quem eles são e como isso afeta o modo como eles lideram. Ser autêntico, segundo Brigette é outro diferencial de um líder inovador. “Todos nós podemos cometer erros, aprender com eles e superá-los e ter sucesso. Ser real e autêntico é muito mais inspirador para mim do que usar uma máscara. As pessoas são movidas por conexões autênticas e reais, e mudam quando se sentem valorizadas”, diz.

Essa autenticidade ajuda o líder a se colocar no lugar de um membro da equipe quando algo da errado. Ao invés de criticá-lo de modo desmotivador, a liderança precisa ajudar o time a enxergar o erro e aprender com a experiência ruim. Comemorar a capacidade de tentar de novo e aumentar a confiança da equipe mesmo após uma situação adversa também evidenciam uma boa liderança.

O poder do líder

Segundo Brigette, uma boa liderança espalha confiança e segurança dentro de uma organização. “Isso permite espaço e liberdade para que as pessoas errem. O erro é fundamental para que possamos aprender”, defende. Além disso, o líder ainda é capaz de estimular o comprometimento e a curiosidade da equipe frente a situações comuns do dia a dia. “O líder precisa abraçar a causa e não se frustrar em resposta aos constantes desafios. Primeiramente, ele precisa fazer ele mesmo o trabalho para depois modelá-lo para os outros”, diz.

Apenas uma pessoa pode criar um impacto poderoso. “Existem líderes que literalmente infectam pessoas com positividade e coisas novas. E apenas essa atitude tem o potencial de mudar toda a cultura organizacional de uma empresa. E, para ter essa energia positiva e atitude contagiante, precisamos nos sentir bem sobre quem somos, o que somos e por que estamos fazendo o que fazemos”, diz.

Apesar de ainda existir modelos tradicionais de liderança, Brigette afirma que já observa tendências de modelos de liderança mais inclusivos e transformacionais. Segundo ela, esse tipo de líder capacita os profissionais e estimulam a equipe a trazer suas ideias.

Má liderança não é intencional

O líder pode ajudar ou atrapalhar o desempenho de uma equipe. A própria Brigette Iarrusso, hoje consultora de business e liderança, já enfrentou situações de má liderança. “Muitas vezes me senti frustrada, limitada e encaixotada. Eu sentia que não podia voar e trazer todas as minhas ideais para dentro daquela organização”, conta.

“No entanto, agora eu tenho empatia por esses líderes. Hoje eu percebi a enorme pressão que eles sofriam – tanto as colocadas por seus chefes, investidores e conselheiros quanto sobre si mesmo. Acredito que eles se sentiam presos também, mas que tinham que liderar daquela maneira. Agora eu me vejo como alguém que pode apoiá-los e ajudá-los a se libertarem das crenças limitantes, da mentalidade atrasada e das histórias em torno de porquê eles "TINHAM" que liderar daquela maneira”, diz Brigette.

Devido a importância de uma boa liderança, a StartSe idealizou o curso “Aprenda a ser um líder disruptivo, que lidera com propósito e influencia pessoas”, ministrado pela Brigette Iarrusso. O curso acontecerá nessa na próxima sexta-feira (6) no Spaces Coworking em São Paulo. As vagas são limitadas, inscreva-se!

Baixe já o aplicativo da StartSe

App StorePlay Store

Assine nossa newsletter

switch-check
switch-x
Nova Economia
switch-check
switch-x
Empreendedores
switch-check
switch-x
Startups
switch-check
switch-x
Ecossistema
Mais em Startups