Demo Day do EDP Starter reúne startups de energia renovável

A EDP deu mentoria para cinco empresas finalistas e a startup vencedora foi a Enercred - que traz descontos nas contas de energia

Demo Day do EDP Starter reúne startups de energia renovável

A EDP deu mentoria para cinco empresas finalistas e a startup vencedora foi a Enercred - que traz descontos nas contas de energia

0
shares

Nessa segunda-feira, dia 11/12, aconteceu o Demo Day que finaliza o EDP Starter. O programa selecionou 5 startups entre 465 inscritas e, o auditório do Campus São Paulo – o co-working do Google -, foi palco para a escolha da startup vencedora. Entre as finalistas estavam as startups que trazem soluções para o setor elétrico CUBi Energia, Dooak, Nexo, Cartão Solar e Enercred.

Ao todo, o EDP Startups durou 6 meses. No programa, o objetivo era buscar soluções com foco no cliente e tecnologias como realidade virtual. Das 465 inscrições, 83 foram consideradas elegíveis e 40 startups foram selecionadas. Desse número, 10 participaram de um bootcamp no co-working WeWork. No fim, as 5 startups mais promissoras foram selecionadas para o Demo Day.

O CEO da EDP Brasil, Miguel Setas, abriu o Demo Day apresentando a história da empresa: a EDP é uma multinacional de origem portuguesa do setor elétrico. Ela foi criada há 40 anos e hoje está em 14 países do mundo, inclusive em 12 estados brasileiros. Seu market cap é avaliado em US$ 9 bilhões.

“Temos a missão de ser a empresa líder no setor elétrico em inovação e tecnologias exponenciais”, afirmou Setas. O CEO também informou que a EDP possui um laboratório com o primeiro projeto do setor elétrico com inteligência artificial, e que o Brasil é um país campeão no empreendedorismo jovem.

Lívia Brando, gestora de inovação da empresa, apresentou os benefícios do EDP Starter Brasil: o programa é um braço de empreendedorismo que já roda há mais de 5 anos em Portugal, mas é a sua primeira edição no país. Ela afirmou que a empresa procurava startups com equipes fortes com inovações que constroem o futuro do setor elétrico.

Além de passarem pelos processos já mencionados, as startups selecionadas ganharam mentoria de executivos da EDP. Outro benefício do programa foi o acesso a investimentos – na banca do Demo Day estava presente representantes da EDP Ventures e investidores do mercado. E o CEO da startup vencedora ainda ganhou uma missão para o Vale da Silício com a StartSe!

Demo Day

Hilton Menezes, da Kyvo – com quem o EDP Starter foi desenvolvido -, apresentou as startups para o público de cerca de 80 pessoas presentes. Ele afirmou que as startups realizaram mais de 200 horas de entrevista com stakeholders, 2.400 horas de criação de projeto com a EDP e 460 horas de interação com executivos da empresa.

No evento, as startups finalistas realizaram seus pitches. A disputa foi acirrada entre a CUBi Energia e a Enercred, mas a última foi a grande vencedora. Confira as startups que participaram e suas soluções:

CUBi Energia

A CUBi foi a primeira startup a ser apresentada. Fundada há um ano e meio, a empresa “descomplica a gestão energética”, trazendo monitoramento do gasto em tempo real, através da entrega de resultados rápidos e de alto impacto. O software as a service (SaaS) da empresa é capaz de dizer onde, quanto e por quê o uso da energia elétrica.

Em apenas 90 dias do programa, a startup cresceu de 15 clientes para 29, com o aumento de valuation de 50%. Agora, com o fim do EDP Starter, a empresa pretende gerenciar seu crescimento e entregar valor de negócio de forma escalável.

Dooak

A Dooak é uma startup que utiliza blockchain para realizar contratos inteligentes que envolvem investidores, empresas de energia e beneficiários. Os investidores apoiam projetos de energia limpa, que são desenvolvidos pelos parceiros e usufruída pelos beneficiários. No fim, os beneficiários retornam o apoio aos investidores, que obtém retorno acima da poupança.

Uma dificuldade da empresa era saber se o projeto era viável, além de como reforçar a segurança dos contratos pela blockchain. Hoje, a startup possui o apoio de um escritório de advocacia para estabelecer os modelos de contratos virtuais.

Nexo

A Nexo traz um simulador feito com realidade virtual para treinamento de colaboradores, com o objetivo de evitar acidentes de trabalho. No programa piloto desenvolvido no EDP Starter, 18 eletricistas foram treinados por realidade virtual, demonstrando uma redução de 80% do tempo e 87% de custo se comparado a um treino presencial.

Hoje a empresa traz a solução não só para a o setor elétrico, mas para a área de saúde, aço e mineração, por exemplo.

Cartão Solar

A Cartão Solar afirma que é a primeira empresa do Braisl que vai vender energia no varejo e é capaz de gerar uma economia de até 30% na conta de luz sem mudar os hábitos de consumo das pessoas. O funcionamento é simples: a empresa contrata usinas de geração, trazendo energia mais barata direto para o cliente através de geração compartilhada.

A operação de vendas da startup começará em janeiro de 2018, através de um callcenter. Entre os sócios da empresa, está o fundador da Polishop, João Appolinário. A sociedade aconteceu após a participação da startup no programa “Shark Tank”.

Enercred

A grande vencedora do dia traz a primeira assinatura de energia limpa para o consumidor residencial do Brasil. O objetivo da startup é democratizar o acesso às energias renováveis. A Enercred conecta usinas de energia renovável por meio de uma cooperativa, no qual os consumidores adquirem parcelas da energia em forma de créditos, que são descontados diretamente na conta de luz.

No pitch, o CEO José Otávio Bustamante mostrou a conta de luz na qual um consumidor que pagaria R$ 150 por mês recebeu o desconto e pagou apenas R$ 43,25. Novembro foi o primeiro mês de faturamento para a empresa, que deverá trazer os descontos já no próximo mês. A contratação do serviço poderá ser feita totalmente através da internet, por meio de um contrato digital.

Veredicto do 1º EDP Starter

“Precisamos fazer uma mudança cultural muito grande internamente para absorver os novos modelos de negócio que estão surgindo com as startups”, afirmou Carlos Andrade, vice-presidente de novos negócios da EDP Brasil. O trabalho com startups será contínuo, pois a empresa pretende lançar um EDP Starter por ano.

“Para a empresa, nós ganhamos muito. Startups são empresas com novas ideias, que não tem as travas que as grandes empresas têm. Nós trabalhamos em um setor mais tradicional, que é o setor elétrico, e temos a oportunidade de lidarmos com pessoas que estão desenvolvendo novas ideias que serão certamente implementadas no meio de uma transformação tecnológica”, comentou o vice-presidente.

Lívia Brando, head de inovação, finalizou: “É uma relação de ganha-ganha, pois as startups vêm com a agilidade, vontade de fazer algo novo e as competências pra isso. Já do lado da empresa, temos toda a questão da parte técnica, de validação de rendimento de negócio”. De fato, seja qual for o lado da moeda, as empresas só têm a ganhar com a colaboração e suas experiências.

Baixe já o aplicativo da StartSe

App StorePlay Store

Assine nossa newsletter

switch-check
switch-x
Nova Economia
switch-check
switch-x
Empreendedores
switch-check
switch-x
Startups
switch-check
switch-x
Ecossistema
Mais em Startups